sexta-feira, 21 de maio de 2010

e agora?

Paulo Eduardo de Carvalho, 1964 - 2010


ALITERANDO SILÊNCIOS: COMPOSIÇÕES

(Para o Paulo Eduardo de Carvalho)

Não queres fazer o silêncio
Comigo?
Sobressalta-se um pouco uma varanda
e acrescenta-se: vento

Por sobressalto: um vaso mal de frente
a estas flores,
ou um cinzeiro de pequeno porte,
ausente de cavalo,
e algum
desiquilíbrio nessa mesa

Fazemos o silêncio,
se quiseres, 
e assim mantemos tão aliteradas
as primeiras palavras

Está bem assim o vento,
não lhe mexas,
fica-lhe bem a asa sibilante
e ajuda à cinza que se alastra agora,
que transborda de lado na varanda
e desfaz a aridez dessa
roseira

Traz-me um pouco de paz
e ajuda-me a compor
esta paisagem

Vem fazer um silêncio,
porque o resto:
azul de som
- como em sereno palco

Ana Luísa Amaral, in As Delícias do Verbo




Sem comentários:

visitantes da babel