domingo, 8 de agosto de 2010

de mãos dadas com Pessanha



Quando pouso os pés no chão
dói-me o tarso, o metatarso 
(o metatexto também)
e as falanges todinhas, sinto os ossos
e os músculos longos e curtos
como se fossem agulhas
de aço, gelo doloroso.
Conchas, pedrinhas, pedacinhos de ossos.
Não é o chão que me dói,
são os pés.

Amanhã  vou a uma grande superfície
Pedir ajuda a Hermes e levo comigo
Pessanha. Talvez eu consiga
Caminhar um pouco mais.

1 comentário:

Me Hate disse...

Tudo a doer dessa maneira não será Fibromialgia? ;)

Espero que não ainda que, as dores de alma sejam, na maioria das vezes mais penosas do que as fisicas... Por mim falo, claro está mas, a alma com a sua profunda memoria das coisas não nos permite, muitas vezes o descanso até mesmo dos trapezios... e da Atlas... e do Arco de Cúpido... e...

Um dia feliz, com menos dores, sejam elas de que origem forem...

visitantes da babel