domingo, 6 de setembro de 2009

sobre ti




são cada vez menos
as palavras que têm
a medida justa
para dizer o amor:

sinal de que as uvas
estão maduras
e me oriento apenas
pelo leito do rio.

são cada vez mais
os tempos de silêncio
grávido de mel
na sombra das oliveiras

e a brisa ao poente
traz-me música
pão e vinho
que estendo sobre ti.

7 comentários:

gabriela rocha martins disse...

AMOR não digo
dou


.ME




.
um beijo

maria josé quintela disse...

se o vinho for do douro, então este é o poema perfeito!



um beijo ângela.

isabel mendes ferreira disse...

do pão sobre a mesa do amor.

Graça disse...

Quando deixei o meu Minho, as uvas estavam quase prontas :).

Lindo o poema... para saborear.

Um beijo, Ângela

[e permite-me, por favor, deixar outro à Isabel]

José Carlos Brandão disse...

desejo de pão e vinho, silêncio e amor.

alguém falou em poema perfeito?

beijo.

innername disse...

Boa noite, Ângela.
Tomei conhecimento destes blogues - este e o sou do sul - através da Contagiarte e do curso de escrita criativa que sempre quis fazer.
Adorei este poema e parece-me que enriquecia imenso a minha vida - sobretudo a interior - que depois exteriorizo através do que vou escrevendo e rasurando nos blogues - se fizesse este curso convosco. Pena que o dinheiro nunca chegue.
Sempre me estimularam as pessoas que sabiam passar a força, o amor, a raiva, a gratidão, a humildade e todos os sentidos em geral através da palavra escrita e creio poder afirmar que, claro essa é uma necessidade prematura em mim, anterior da minha 2ª infância, mas tb através de pessoas que me estimularam ao poder lê-las, essa necessidade. Maria Antónia Jardim (do tempo da faculdade em História da cultura portuguesa e Arte e expressividade), Narciso (secundária professor apaixonado de história) e Adrião (português e política - do Fundão) foram fulcrais pra isso. Gosto de saber que está no Norte. Com sorte minha, irei conseguir fazer este curso. E sem sorte, poderei acompanhar algumas das boas coisas que no campo da nossa língua e da palavra escrita, mais especificamente, vocês vão fazendo pela invicta. Adicionando os blogues. Bela foto a acompanhar o poema de pão e mel, com promessa de vindimas. Foi um prazer. ;)

Bandida disse...

cheers!! vinho tinto, pão e... tudo!

black out??......


um beijo

visitantes da babel