domingo, 31 de outubro de 2010

o elogio do sorriso





é o sorriso maduro que demora
a surgir no rosto cansado
de quem passou a metade da vida
aquele sorriso de quem sabe
que a qualquer momento
poderá congelar
numa face gélida onde
o sangue já não circula
é o sorriso de quem sabe
que as palavras em demasia
provocam congestões
fatais ou diarreias intermináveis
é o sorriso de quem caminha devagar
contra a corrente do estrelato
pós-moderno defensor
da eterna juventude eterna.
é aquele sorriso tranquilo
que mostramos ao espelho
pela manhã no gesto salutar
de auto derrisão e nos salva
da mediana mediocridade deste tempo
tão cosmeticamente esfoliado.

1 comentário:

AC disse...

Gosto do "sorriso maduro"...
Faz-me lembrar o refinamento do olhar, a sabedoria adquirida...

beijo :)

visitantes da babel