segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Efeito Babuska




Madalena acendeu um cigarro pensativo, porque achou que também tinha direito a esse requinte estilístico e depois da primeira passa descaiu o braço sobre a mesa de mármore, junto ao cinzeiro. Ergueu lentamente o copo de maduro tinto até aos lábios, fechou os olhos e deixou-se transportar para a quinta do tio há muito perdido, enquanto apreciava aquele pedaço de Douro, encorpado, quente a entranhar-se na alma. Na mesa do lado estava Cristo, com um fato cor-de-rosa, balançando na cadeira e olhando-a de soslaio entre um e outro gole de whisky. Ainda o cigarro de Madalena não tinha acabado, quando Cristo caiu de costas.
Era uma cena de um minuto apenas, mas repetiu-se inúmeras vezes, durante uma meia hora, até que o realizador a tivesse considerado perfeita.






5 comentários:

Susn disse...

A imagem de um Cristo com um fato cor-de-rosa é uma cena que agora se infiltrou na minha cabeça. Nunca tinha pensado nisso lol. E não bebi whisky nenhum.

Beijos

ângela marques disse...

:)Não é minha a ideia. Daí o título: eu conto uma história de um filme que conta outra história, que por sua vez se inspira noutra história...
Finalmente, ninguém inventa nada:))), digo eu, assim para suscitar discussão (como de costume, não é Susn?)
Beijo

Susn disse...

Pois... daquelas discussões sobre cachimbos que não são cachimbos e por aí adiante. Só faltam aqui as outras 6! ;)

Bjinhos ângela

GMV disse...

A imagem criada pelo texto é, sem dúvida, interessante. E gostei particularmente do "pensativo cigarro, porque achou que também tinha direito a esse requinte estilístico" Pessoano, que tantas vezes reclamo para mim.

Bj

Graça

LM,paris disse...

ângela, la répétition est la mort, jà dizia o Kantor, a Pina Baush develvolveu e aplica ainda hoje este sistema repetitivo que acaba por anular o primeiro efeito..pas d'effetes chérie, que du très spécial. Tu as trouvé ta Madeleine, pas celle de Proust...et qui sait?
Bon, moi je joue de suite ta Madeleine, anda là, vamos à procura do Cristo , Pink Christo!
Adorei e acho que deviamos fazer un mini-filme de ça.
Bravo, comme d'hàb!
Bisoux, plus que d'hàb.
LM
en plus je pleure très bien au cinéma, laver les pieds de l'autre, me branche, c'est assez proche de Bunel...accroche-toi!

visitantes da babel