sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

alinhavos

foto de christiane zschlommler

as palavras rasuradas a sangue
bastam para desdizer o fio
de um tempo maturado
ao invès da pele. cerzidos
ambos com a limpidez
das noites brancas
que se alinhavam
sobre os meus ombros
curvados de solidão

8 comentários:

Ana Paula disse...

Os teus "alinhavos" são lindíssimos!

Bom fim-de-semana :)

LM,paris disse...

Lindo, e triste.
também gosto dessas palavras, alinhavo, cerzido...explicita atençao que nos leva a curvarmo-nos sobre as cicatrizes-( com s---com z...?)
ja nao sei escrever em português!!!
beijos,
babélicos!!!!
LM

dama disse...

que bom teres voltado. tenho andado à tua procura :) Bom ano! convida-me para o blog colectivo, sim?

O Profeta disse...

Um tecto feito de estrelas
A Lua brinca com fios de luz
Um cometa passou rasante
Um coração o outro seduz

Com palavras!
Vestidas da cor da ironia
Quando ditas da forma certa
Há sempre quem nelas confia


Boa semana



Mágico beijo

isabel mendes ferreira disse...

a solidão é um ponto cruz! que também se destrava!


gostei bastante A. da maturação com que coses o sentimento.

Susn disse...

Curvo-me perante a beleza alinhavada destas palavras bem acompanhadas pela escolha da foto.

Excelente!

BEIJOS

ângela marques disse...

Obrigada a todos que aqui louvaram os meus alinhavos. São louvores à minha mestra, mãe, costureira primorosa.

GMV disse...

Gostei deste seu "cerzir" de palavras.

Obrigada pela passagem no meu "palco"... feliz por ter gostado, especialmente de Mário Dionísio, de quem tive a honra de ser aluna.

Vou voltar. Bjs

visitantes da babel