terça-feira, 13 de janeiro de 2009

o meu poeta de 11 de janeiro

Al Berto, 1948 - 1997
Encomenda Postal
destino-te a tarefa de me sepultares
no segredo mineral da noite
com um lápis e uma máquina fotográfica
depois
fica atento ao correio
do secular laboratório nocturno enviar-te-ei
devidamente autografado
o retrato da solidão que te pertenceu
e numa encomenda à parte receberás
a revelação desta arte
onde a vida cinzelou o precário corpo
na luz afiada de um vestígio de tinta
Al Berto, O Medo, Contexto/Círculo de Leitores, 1991


6 comentários:

observatory disse...

doce~

dos mais doces

das mais doces

beijo

observatory disse...

angela

li mas nao consigo responder

tenho o mail lixado

o meu mail: refazer@gmail.com

isabel mendes ferreira disse...

saberei então que levanto do céu o testemunho das palavras maiores!



vim.



em gesto tÃO precário quanto singelo.


deixo um pobre vestígio. grato.

casa de passe disse...

lindo, quem me asoube ler.te!

(nini)

isabel mendes ferreira disse...

obrigada.

ângela marques disse...

nem pobre vestígio, nem vestígio pobre. rasto cúmplice.

visitantes da babel