quinta-feira, 5 de março de 2009

manhãs



recordo as manhãs
geladas do Marão
para não me esquecer
de viver.

13 comentários:

Isabel disse...

a primeira vez qua estive no Marão..(e única) ________e era ainda novinha.....chorei.


de tanta esmagadora beleza.


.


tão bom rever. aqui.


obrigada.


beijo A



(piano)

pamita star disse...

Que é isso?! Esquecer de viver!? Só é preciso R E S P I R A R e A M A R ... muito.
Um abraço apertadinho.

ângela marques disse...

Isabel,

Eu vivi lá ao pé aos 26 aninhos:)... mas já conhecia desde há muito mais tempo.
Viver ali é indizível.
Beijo de manhã

Pamita,
Já sabia que me ia bater:)... mas a verdade é que é tão fácil esquecer de viver, de respirar. Basta parar.
Obrigada pela visita e pelo abraço. Mesmo.

maria josé quintela disse...

e eu não preciso de as recordar.



passo em frente do marão todas as manhãs.



mas será por isso que não me esqueço de viver?


um beijo Ângela.

Pedro S. Martins disse...

O Marão seduz seja quem (lá) for.

ângela marques disse...

MJ,

quem sabe???? ai q saudades de o ver todas as manhãs... fizeste-me inveja.

bj


Pedro Martins,

Obrigada e concordo.

José Carlos Brandão disse...

Lindíssimo o Marão. Um milagre!

... mas tomo a liberdade de ler teu poema assim:
recordo as manhãs
geladas do Matão
para não me esquecer
de viver.
só porque eu nasci e vivi meus primeiros oito anos num sítio chamado Matão. As manhãs não eram geladas, mas também não tinha a beleza estonteante do Marão. No entanto, no entanto, era o meu Paraíso Perdido. Repito, presenteando-me esse prazer de viver:
recordo as manhãs do Matão
para não me esquecer
de viver.

Obrigado, Ângela.
Deus a guarde.

manzas disse...

Sublimes versos escapam das almas dos poetas
Viajando até ao fundo dos céus como balões …
Suspensos ficam no tecto brilhando poesias inquietas
Reflectindo olhos orvalhados em prados de emoções

Dedicado a todos
Os poetas e poetisas
Deste mundo,
Os que já adormeceram,
E aos outros
Que ainda nem sono têm...

Bem hajam!

Uma boa sexta-feira e um melhor fim-de-semana…

O eterno abraço…

-MANZAS-

ângela marques disse...

Manzas,
grata pela visita e palavras.

Meu caro José,:)

adorei o seu comentário. e vou aceitar a proposta de leitura em homenagem a um poeta do Marão, que amo, e vivia num lugar perto chamado de "Gatão": Teixeira de Pascoaes.
Obrigada.
um abraço

alice disse...

obrigada, ângela, pelas tuas palavras n'a tradução. o marão faz parte da minha infância :) estou com pouco tempo numa biblioteca, na próxima semana volto com mais tempo, um beijo e bom fds!

maria josé quintela disse...

eu.... da Kapital?....



então não se vê logo que não???...:)))



beijo.

ângela marques disse...

foi o que consegui alinhavar em poucas palavras, alice. a partir de uma escrita com espinha dorsal.

Zé,
realmente, não dizes tíu, nem ríu ihihihih... q disparate o meu!
:))))))))))

beijo.

LM,paris disse...

Nunca là fui, ao Marao...sinto-me orfa...tenho que ir là para ter o meu segredo de beleza.
Merci, a foto é linda, até faz doer...beijos, lindo poema,
LM

visitantes da babel