domingo, 22 de março de 2009

O novo velho Brecht







Fotos de TAMBORES da NOITE, de Bertolt Brecht
(do site do TNSJ e do Manual de leitura)
Foi com esta peça do jovem Bertolt Brecht (1922) que Nuno Carinhas se estreou como Director Artístico do TNSJ, sendo o seu encenador.
Não podia ter sido melhor o começo.
Um texto de um Brecht ainda não comprometido com aquilo que veio a ser a sua doutrina mais radical, cheio de revolta, de energia, de poesia, de liberdade; uma encenação enriquecedora do texto, cuidada, fundada no trabalho de actor e na palavra e de uma beleza poética extrema; uma interpretação quase intocável por parte de actores que vêm trabalhando (na sua maioria) em conjunto e que se apresentam como elementos de uma orquestra, dando o máximo de cada um num trabalho de conjunto para a concretização de um todo, que é o TEATRO.
Citando Nuno Carinhas, na apresentação da peça, " E se todos os grandes dramaturgos são poetas, o Teatro é a materialização dos seus universos em expansão que entroncam nas nossas fantasias. Os actores são o corpo das palavras, os espaços cénicos são as paisagens das didascálias, os sons são a espessura do ar que a tudo e todos envolve - e sobre toda esta matéria inteligente e desejante escreveu profusamente o "pobre B.B.""
E foi assim envolvida que saí do calor da sala para o frio da noite, com o som dos tambores a bater ao ritmo do coração.
A rever no Dia do Teatro, a 27 de Março.


5 comentários:

José Carlos Brandão disse...

Brecht é uma brecha.
Um beijo, Ângela.

isabel mendes ferreira disse...

Brecht é o Mestre.



o que em Teatro é encenação da Maioridade.


___________________.




beijo A.

alice disse...

:) gostava de ir ver. beijinhos.

gabriela rocha martins disse...

viste ontem a entrevista ,na TV2 ,no Câmara Clara ,ao Ricardo Pais?
se sim ,dá cá mais cinco
se não ,devias ter ouvido .ou a dolorosa verdade do Teatro neste país ,onde Brecht continua cada vez mais necessário

LM,paris disse...

Merci ângela,
por tudo.
A Isabel tem aqui uma maravilhosa definiçao do teatro, em cena.
Pena nao estar com vocês no porto.
O Nuno é um optimo encenador, foi uma boa noticia, vocês vao ter, se o deixarem trabalhar como tu dizes no outro post...vao ter bom teatro, faz falta em todas as partes do mundo. Cada vez mais raro, mas sempre là...a resistência é uma liga humana de maos e
de palavras. Quando elas se enrolam em cena...é um acto artistico e politico,...
bjos LM

visitantes da babel